Compartilhar:

A mulher que sofria de um fluxo de sangue considerou em seu coração que bastava tocar na orla das vestes de Jesus para ser curada, porém, como aproximar-se de Jesus, sem contaminar a multidão? E o que faria a multidão se descobrisse que uma mulher imunda havia saído no meio do povo, deliberadamente, para se esbarrar em todos, deixando–os imundos?


A mulher do fluxo de sangue

“E foi com ele e seguia-o uma grande multidão, que o apertava. E certa mulher que, havia doze anos, tinha um fluxo de sangue e que havia padecido muito, com muitos médicos e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes, indo a pior; Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste. Porque dizia: – Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão e disse: Quem tocou nas minhas vestes? E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta e dizes: Quem me tocou? E ele olhava em redor, para ver quem isto fizera. Então, a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se e prostrou-se diante dele e disse-lhe toda a verdade. E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz e sê curada deste teu mal.” (Mc 5:24-34).

O que há de tão importante, no milagre da mulher com um fluxo de sangue, que levou três evangelistas a narrarem o mesmo milagre? No que implicava uma mulher sofrer hemorragia constante àquela época? Como dimensionar a fé em Cristo, daquela mulher?

Em primeiro lugar, é essencial deixar registrado que os milagres narrados pelos apóstolos, têm a função precípua de levar os homens a crerem que Cristo é o Filho de Deus. “Jesus, pois, operou, também, em presença de seus discípulos, muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (Jo 20:30-31)

Marcos e Lucas registraram que a mulher já havia gasto todos os seus bens com médicos, porém, não puderam curá-la (Mc 5:26; Lc 8:43).

Já, os evangelistas Mateus e Marcos destacam que a mulher sofria de hemorragia, há doze anos, e, ao ouvir falar de Jesus, passou a acreditar que, se somente tocasse em suas vestes, haveria de ser curada: “Porque dizia consigo: Se eu tão-somente tocar a sua roupa, ficarei sã” (Mt 9:21).

Porém, havia um entrave: a mulher, por ter um fluxo de sangue, pela lei de Moisés, era considerada imunda: “Também a mulher, quando tiver o fluxo do seu sangue, por muitos dias fora do tempo da sua separação ou, quando tiver fluxo de sangue, por mais tempo do que a sua separação, todos os dias do fluxo da sua imundícia será imunda, como nos dias da sua separação.” (Lv 15:25). Os dias de separação de uma mulher, durante a sua menstruação mensal, era de 7 dias, conforme Lv 15.19: Mas a mulher, quando tiver fluxo, e o seu fluxo de sangue estiver na sua carne, estará sete dias na sua separação e qualquer que a tocar, será imundo, até à tarde.

Ela considerou, em seu coração, que bastava tocar na orla das vestes de Jesus, que seria curada, porém, como aproximar-se de Jesus, sem contaminar a multidão? O que faria a multidão, caso descobrisse que uma mulher imunda havia saído em meio ao povo e tocado, deliberadamente, em todos que ela esbarrava? “Ou, quando tocar a imundícia de um homem, seja qualquer que for a sua imundícia, com que se faça imundo e lhe for oculto, mas, se o souber depois, será culpado” (Lv 5:3). Como aquela mulher sairia de casa, se os vizinhos, que sabiam daquela doença, podiam recriminá-la, por causa da lei? O que fariam os religiosos, se a descobrissem no meio da multidão?

Além do sofrimento físico e da desesperança, a mulher do fluxo de sangue não podia participar das festas religiosas. Ela não podia ficar fora do templo, junto com as outras mulheres e nem ir à sinagoga (Lv 15:25-33). Ela tinha que permanecer confinada e isolada! Não podia relacionar-se com as pessoas, nem mesmo com os seus familiares, pois, tudo o que ela tocava tornava-se imundo!

Embora ciente dos riscos de ser surpreendida, a mulher entrou no meio da multidão e, ao chegar por trás, tocou na orla das vestes de Cristo e, imediatamente, ficou sã. Foi quando Jesus perguntou: “Quem é que me tocou?” (Lc 8:45).

Como deve ter ficado apreensiva a mulher, quando foi descoberto o seu ato, de tocar nas vestes de Cristo! – Será que Jesus vai me recriminar por ter saído em meio a multidão sendo imunda? O que dirão os seus discípulos e a multidão? Será que todos ali presentes serão obrigados a se recolherem em casa, para cumprirem o tempo determinado na lei, para a purificação? “Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, a todo o que padece fluxo e a todos os imundos, por causa de contato com algum morto” (Nm 5:2).

Enquanto as questões se avolumavam na mente da mulher, Jesus continuava a perguntar: “Quem é que me tocou?” (Lc 8:45 ). A multidão continuou negando e Pedro, juntamente com o outros discípulos, tentaram dissuadir a Cristo, argumentando: “E, negando todos disse Pedro e os que estavam com ele: Mestre, a multidão te aperta e te oprime e dizes: Quem é que me tocou?” (Lc 8:45).

Jesus, porém, continuou a olhar entre a multidão para ver quem havia lhe tocado! No verso 33, de Lucas 8, fica nítido o quanto ela considerou, antes de revelar-se, pois, sabia que havia contrariado a lei, indo até Jesus, em meio a uma multidão.

A mulher, ciente do que havia ocorrido, com medo e tremendo, aproximou-se, prostrou-se diante de Cristo e disse toda a verdade.

Foi quando Jesus a acalmou, ao dizer: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz e sê curada deste teu mal” (Lc 8:48).

Por causa da fidelidade de Cristo Jesus, que honra aqueles que n’Ele confiam, a mulher foi salva, recebida por filha, curada do fluxo de sangue e despedida em paz. Toda a confiança surgiu quando a mulher, simplesmente, ouviu falar de Jesus: “Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste. Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei.” (Mc 5:27-28).

A confiança dessa mulher nos ensina que Jesus é a água viva, fonte inesgotável, pois, qualquer imundo que tocá-lo é limpo da sua imundície. “Porém a fonte ou, cisterna, em que se recolhem águas, será limpa…” (Lv 11:36).

Através dela, somos ensinados que Cristo é a semente incorruptível, o Verbo encarnado, pois, até mesmo os ‘cadáveres’ que sobre Ele caírem tornam-se limpos: “E se, dos seus cadáveres, cair alguma coisa, sobre alguma semente que se vai semear, será limpa.” (Lv 11:37)

A confiança não surge do sofrimento ou, das mazelas diárias, antes, tem origem na palavra da verdade. Ela passou a confiar, a partir do momento que ouviu acerca de Cristo (v. 27). Quando ela ouviu acerca d’Ele e refletiu (v. 28), foi tomada de confiança, que superou todos os medos (v. 33).

Se ela não tivesse ouvido acerca do Cristo, jamais teria confiança, pois, a fé vem pelo ouvir e o ouvir a palavra de Deus (Rm 10:17). Ao ouvir, acerca daquele homem, ela foi invadida por uma confiança tal que considerou que, se tão somente tocasse nas suas vestes, ela seria curada.

A confiança que ela depositou em Cristo era diferente da confiança que tivera nos médicos. A confiança nos médicos levou-a a gastar tudo o que possuía, mas, a confiança em Cristo, levou-a a desafiar as suas próprias crendices, as disposições da lei e a religiosidade: aquele homem tinha poder para sará-la daquele mal.

Se a noticia, acerca de Cristo, não houvesse operado uma transformação (metanóia) no modo de pensar da mulher, jamais ela iria, intencionalmente, tocar em Jesus, pois, estaria presa ao pensamento de que poderia contaminá-lo.

Após apresentar-se prostrada, aos pés de Cristo, diante da multidão, e tendo declarado a sua intenção e confiança, Jesus lhe disse: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz e sê curada deste teu mal.” (Mc 5:34) Por crer que Jesus podia purificá-la daquele mal, a mulher foi salva por Cristo e, em seguida, curada do fluxo de sangue.

O que salvou a mulher? A ‘confiança’ dela ou, a ‘fé que se tornou manifesta’?

Ora, sabemos que quem salvou a mulher foi Cristo, pois, ele é a fé que havia de se manifestar. “Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.” (Gl 3:23) Antes de Cristo ser anunciado. ela confiava na lei e a confiança dela não podia salvá-la, nem do pecado e nem da enfermidade, porém, quando ela confiou em Cristo, o dom de Deus, ela foi salva da condenação herdada de Adão e foi curada da enfermidade física. “Porque, pela graça sois salvos, por meio da fé e isso não vem de vós, é dom de Deus.” (Ef 2:8); “Jesus respondeu e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias e ele te daria água viva.” (Jo 4:10)

Uma coisa é certa: ‘confiança’, à parte da fé, que é Cristo, não salva. Confiar nos médicos, na lei, na religiosidade, etc., nada produz, mas, diante da fé manifesta, que é dom de Deus, se o homem confiar, será salvo.

O homem é justificado por Cristo, a fé que havia de se manifestar, a fé que uma vez foi dada aos santos, “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo,” (Rm 5:1); “Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, sem as obras da lei” (Rm 3:28).

Aquele que confia no Verbo que se fez carne, o autor e consumador da fé, tem a vida eterna, pois, a confiança advém da palavra de Deus, que é firme e permanece para sempre, “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas, aquele que não crê no Filho, não verá a vida, mas, a ira de Deus sobre ele permanece.” (Jo 3:36)

crença da mulher a salvou, porque ela creu naquele que tem poder para justificar o ímpio ou, seja, a crença dela lhe foi imputada como justiça, assim, como ocorreu com Abraão. “Mas, aquele que não pratica e crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.” (Rm 4:5 ); “E creu ele no SENHOR e imputou-lhe isto por justiça” (Gn 15:6).

 

Correção ortográfica: Pr. Carlos Gasparotto

Claudio Crispim

É articulista do Portal Estudo Bíblico (https://estudobiblico.org), com mais de 360 artigos publicados e distribuídos gratuitamente na web. Nasceu em Mato Grosso do Sul, Nova Andradina, Brasil, em 1973. Aos 2 anos de idade sua família mudou-se para São Paulo, onde vive até hoje. O pai, ‘in memória’, exerceu o oficio de motorista coletivo e, a mãe, é comerciante, sendo ambos evangélicos. Cursou o Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública na Academia de Policia Militar do Barro Branco, se formando em 2003, e, atualmente, exerce é Capitão da Policia Militar do Estado de São Paulo. Casado com a Sra. Jussara, e pai de dois filhos: Larissa e Vinícius.

32 thoughts on “A mulher do fluxo de sangue

  • 04/02/2019 em 10:06
    Permalink

    Ola boa noite e a paz do senhor
    minha pergunta é. A mulher do fluxo de sangue foi curada no momento que ela tocou na orla de Jesus ou foi depois que Jesus falou com ela .Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal” ( Mc 5:34 .

    Resposta
    • 25/02/2019 em 16:02
      Permalink

      Olá, Luciene..
      A cura aconteceu no momento em que ela tocou as vestes de Jesus. A fala: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal” (Mc 5:34), tem o viés informativo à multidão para que cressem que Jesus é o enviado de Deus, assim como a fala:

      “Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste.” (João 11 : 42)

      Att.

      Resposta
    • 16/01/2020 em 03:38
      Permalink

      Soli Deo glória para todo sempre 🤗🤗🤗

      Resposta
    • 22/01/2020 em 07:26
      Permalink

      Bom dia , se ela não tivesse se apresentado ,eu creio que ele tinha sido curada, porém maior que a cura é a salvação , que ela recebeu quando falou com Jesus. Ele foi curada espiritualmente.

      Resposta
  • 28/08/2019 em 22:09
    Permalink

    A paz!

    Como aprendi com essa palavra.

    Deus abençoe grandemente sua vida e te dê sabedoria para continuar ensinando a palavra com tanta sabedoria.

    Resposta
    • 12/07/2020 em 22:20
      Permalink

      assim que ela tocou porque ela acreditava que bastava tocar na orla

      Resposta
  • 24/09/2019 em 12:48
    Permalink

    Olá bom dia Pastor a paz do Senhor

    Gostaria de saber o que a mulher do fluxo de sangue aprendeu durante esses 12 anos de sofrimento antes de ser curada …

    Resposta
    • 26/09/2019 em 21:11
      Permalink

      Olá..

      Difícil dizer.. do ponto de vista religioso, possivelmente era seguidora do judaísmo, ou seja, aprendeu o que era ensinado pelos escribas e fariseus. Mas, como os apóstolos não disseram a nacionalidade da mulher, não é possível afirmar com certeza o que ela aprendeu da religião.

      Com relação a doença, a lição que ela aprendeu diz da fragilidade humana e do desprezo das pessoas a sua volta. Ela aprendeu que os recursos humanos e a medicina, e muitos dos casos, não tem solução.

      Mas, com o advento de Cristo, ela nutriu uma confiança tal, que a impeliu sair em meio a multidão, sob o risco de ser censurada ou morta por deliberadamente contaminar todos a sua volta. Pelo que ela ouviu acerca de Cristo, a confiança dela fez com que ela acreditasse que, com um toque nas vestes de Jesus, seria curada.

      Assim ela fez, e foi curada. E, quando foi interpelada, apesar do receio, prostrou-se diante de Jesus e declarou o que ocorrera.

      Geralmente queremos encontrar uma lição no sofrimento, para com isso, ter um consolo. Entretanto, não há uma lição especifica a ser aprendida na doença. Tudo o que se abstrai é subjetivo, ou seja, cada pessoa lida a sua maneira com as agruras da vida.

      Att.

      Resposta
    • 23/10/2019 em 18:08
      Permalink

      a paz do senhor ! ela aprendeu que jesus e a unica soluçao pra causas impossiveis e ao menos nos ensina que fe , basta um toque para o milagre acontecer

      Resposta
  • 17/10/2019 em 16:53
    Permalink

    Que estudo maravilhosa
    Deus o abençoe e continue te dando sabedoria mais e mais

    Resposta
  • 30/10/2019 em 14:39
    Permalink

    Boa tarde,

    Muito edificante e esclarecedora esta palavra da passagem da mulher do fluxo de sangue. Penso que muitas vezes somos como esta mulher, enfraquecidos pela circunstancias. Esta passagem fala demais comigo. Pois penso que a cura dela começou no processo, ao enfrentar uma multidão, com saúde debilitada, enfraquecida,não podendo ser notada, foi rastejando e mirando somente no foco que é Cristo, ali já começou o processo de sua cura e o crescimento da sua Fé!

    Glórias a Jesus!!!!!!!

    Resposta
  • 04/12/2019 em 06:39
    Permalink

    Paz do senhor gostaria de saber se essa mulhe padecia do fluxo de sangue desde seus 12 anos?

    Resposta
    • 05/12/2019 em 20:19
      Permalink

      Olá Salete..

      O texto aponta somente o tempo que ela sofreu da doença, sem fazer qualquer alusão a idade que ela possuía quando começou a sofrer. Qualquer tentativa de estabelecer uma data não passa de especulação.

      “E eis que uma mulher que havia já doze anos padecia de um fluxo de sangue, chegando por detrás dele, tocou a orla de sua roupa;” (Mateus 9 : 20)

      Att.

      Resposta
  • 09/12/2019 em 17:37
    Permalink

    Obrigada por ter compartilhado! Que o Eterno o retribua poderosamente!

    Resposta
  • 14/03/2020 em 01:39
    Permalink

    Eu queria saber ela foi até a Jesus é o tocou na orla do seu manto mais ela não podia torca na multidão pq ela era considerada suja no caso os discípulos ficou contaminado ?

    Resposta
    • 14/03/2020 em 11:22
      Permalink

      Olá, Luciana..

      Do ponto de vista da tradição judaica todos que foram tocados ou resvalados pela mulher ficaram imundos.

      Mas, segundo o evangelho de Cristo, como Ele é água limpa e a semente escolhida por Deus, não havia qualquer risco de ficarem imundos.

      “E, se dos seus cadáveres cair alguma coisa sobre alguma semente que se vai semear, será limpa;” (Levítico 11 : 37)

      Att.

      Resposta
  • 13/04/2020 em 12:09
    Permalink

    Quanto era o peso corparal da mulher do fluxo de sangue, pq a doze anos perdendo sangue…?????

    Resposta
  • 15/07/2020 em 16:15
    Permalink

    Ola,mina pergunta é, qual o significado da palavra virtude?,o que Jesus quis dizer ao falar,de mim saiu virtude?

    Resposta
  • 22/07/2020 em 07:34
    Permalink

    Graca e a paz.
    Muito bom. Que Deus o abencoe e continue te usando.
    Essa sera minha pregacao nessa noite em minha igreja.
    Obrigada

    Resposta
  • 29/08/2020 em 23:25
    Permalink

    Aprendemos lições extraordinárias com essa história , muitas das vezes estamos com uma causa impossível que corremos de um lado para o outro é não vemos solução …..mas quando decidimos colocar nossa fé em ação …rompemos as barreiras ou seja a multidão e temos um encontro verdadeiro com Jesus é somos curados espiritualmente é renovados ….

    Resposta
  • 03/09/2020 em 12:03
    Permalink

    Que maravilha Deus continue abençoando o senhor por esse estudo gostei muito parabéns o senhor tem falado muito através dessa msg 👏

    Resposta
  • 10/11/2020 em 17:01
    Permalink

    Ela foi curada na hora que tocou nas vestes do Senhor Jesus , pois o próprio Senhor jesus disse , bem sei que de mim saiu virtude , então através do toque com fé na mesma hora ela foi curada , quando sai virtude , unção de jesus ela é curada ,e depois Jesus vai até ela e confirma a cura através de sua fé .

    Resposta
  • 10/11/2020 em 17:02
    Permalink

    Muito maravilhoso o estudo profundo , glória a Deus

    Resposta
  • 23/12/2020 em 02:13
    Permalink

    Bom,gostaria de saber se de certa forma podemos interpretar até um certo versículo como OPORTUNIDADE?
    Pois,se ela não tivesse tomado a iniciativa logo após ter ouvido falar de Jesus ela talvez não teria sido curada…
    Isso de certa forma pode ser interpretada como OPORTUNIDADE? Me responde prf,irei ministrar essa semana…

    Resposta
    • 23/12/2020 em 22:59
      Permalink

      Olá, Elaine..

      a oportunidade foi estabelecida quando Deus enviou o seu Filho ao mundo. A tal oportunidade jamais está no homem em ter iniciativa, pois iniciativa sem Deus ter enviado o Cristo não proporcionaria nada aos homens.

      Com a vinda de Cristo se estabelece o dia sobremodo oportuno: o dia de salvação, que é hoje.

      ” (Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável E socorri-te no dia da salvação; Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação).” (2 Co 6.2).

      A oportunidade está em ela ter sido alcançada pela mensagem que falava de Jesus. Iniciativa sem a mensagem do evangelho não é nada, só iniciativa.

      Att

      Resposta
  • 29/01/2021 em 02:02
    Permalink

    A mulher do fluxo de sangue precisou fazer o sacrifício de purificação com o sacerdote ou ficar isolada mais 7 dias, assim como estaca escrito na lei de Moisés ?

    Resposta
    • 30/01/2021 em 21:15
      Permalink

      Olá, Catarina

      não havia necessidade, tanto que Jesus disse para ela ir em paz. Ir ao sacerdote narrar o acontecido só traria problema para ela, visto que ela poderia ter contaminado a multidão.

      Diferente era o caso do leproso, que o sacerdote faria o ‘papel’ de um médico, atestando que ele estava limpo e que podia voltar a conviver na sociedade. (Mateus 8.4)

      Att

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content